O termo mosca, que denota os insetos dípteros esquizóforos da subordem dos ciclórrafos, com cerca de 80 mil espécies descritas, que se dividem em caliptrados e acaliptrados e numerosas famílias.  Por isso, existem moscas de formas, tamanhos, cores e hábitos muito diferentes entre si.

A famosa mosca doméstica acompanha o homem desde tempos remotos. E desde então, ela tem sido um perigo por sua capacidade de transmitir enfermidades, especialmente as doenças digestivas.  Essas doenças são causadas por bactérias transmitidas por este inseto ao pousar em alimentos consumíveis pelos humanos.

Algumas, como a mutuca, chupam o sangue de animais, e eventualmente, do homem. Mas a maioria absorve matérias orgânicas, mesmo que estejam em decomposição.  Este inseto deposita seus ovos sobre a pele dos cavalos, que ao se lamberem engolem as larvas. Estas se fixam e se desenvolvem na parede estomacal, e então se desprendem para chegar ao exterior pelos excrementos.

Outra mosca bastante popular é mosca-varejeira (Também conhecidas como biru, mosca-da-carne, mosca-de-bicheira, mosca-vareja, beronha, varejeira, moscas-do-berne ou moscas-berneiras).  São moscas de grande tamanho, geralmente possuem uma coloração verde azulado metálico, depositam os ovos nos tecidos vivos ou mortos de vertebrados ou substâncias orgânicas em decomposição.  

Causam grande perda econômica; é um dos principais ectoparasitas de gado bovino na região que estende-se do México até à Argentina; causam infecções, perda de peso, baixa produção leiteira, morte de bezerros e comprometimento da qualidade do couro.

  Fontes:  Wikipédia e Animal Planet